Conheça 3 alternativas ao tratamento com cloro para piscinas!

Se você tem uma piscina na sua área externa, provavelmente imagina que o tratamento com cloro para piscinas é o único ou mais eficaz para mantê-la limpa e livre de bactérias e fungos. Foi por isso que decidimos escrever este post, para mostrar a você as diversas alternativas para manter a limpeza da água sem depender do cloro.

Saiba que o mercado atual já dispõe de algumas versões do tratamento para piscinas que não utilizam ou que permitem diminuir a taxa de cloro na água. Esse assunto despertou a sua curiosidade? Então conheça agora quais são as alternativas e confira a eficácia de cada uma!

Por que substituir o tratamento com cloro para piscinas?

Geralmente, uma das palavras que associamos a piscina é cloro, já que esse elemento marca presença em praticamente todas as piscinas, sendo elas domésticas ou públicas.

Porém, mesmo sendo um agente popular, não quer dizer que seja benéfico para os banhistas ou tratadores da piscina. O cloro, entre diversas complicações, pode causar:

  • ressecamento da pele e do cabelo;
  • piora da asma;
  • desgaste do esmalte das unhas;
  • ardor nos olhos.

Diminuir o cloro nas águas da sua piscina vai diminuir drasticamente esses efeitos negativos e dessa forma você, a sua família e amigos vão passar momentos muito mais agradáveis dentro da água.

Como substituir o tratamento com cloro para piscinas?

Você deve estar se perguntando “como posso diminuir o cloro e ainda assim manter a água da minha piscina limpa?”. É isso que mostraremos neste instante, veja as 3 principais alternativas:

1. Ozônio

Esse gás tão conhecido é também um ótimo eliminador de vírus, fungos e bactérias e portanto, um perfeito tratamento para a sua piscina. Utilizar esse produto na água não causa nenhum efeito negativo: não deixa resíduo algum — caso for utilizado em excesso, é transformado em oxigênio — e gasta pouquíssima energia para funcionar.

Para escolher esse tratamento de ozônio é necessário um aparelho ozonizador, que capta o oxigênio do ar, quebra essas partículas e encaminha o ozônio para a água. É necessário deixar o aparelho ligado por 6 a 8 horas diariamente.

Devido à rápida evaporação do gás, é preciso acrescentar uma pequena quantidade de cloro na água (0,5 ppm bastam). A utilização do cloro, nesse caso, é apenas em caráter de prevenção.

2. Luz ultravioleta

Assim como o ozonizador, essa opção é mais sustentável e ecologicamente correta que o cloro. A maior vantagem de tratar a sua piscina com luz ultravioleta é a grande redução de elementos químicos na água.

Esse tratamento utiliza um emissor especial de luz ultravioleta, em formato de filtro. Quando ligado, elimina todos os vírus, bactérias, algas, fungos e protozoários presentes na água. A indicação, segundo especialistas, é que o filtro funcione de 6 a 8 horas por dias. Perceba que essa opção não serve como prevenção e sim como eliminador.

3. Ionização de cobre e prata

Outro substituto do cloro em potencial é a ionização da água. Utiliza-se um aparelho automático que libera na água íons de prata e cobre, que eliminam totalmente as algas, germes, fungos e bactérias que são convidados indesejados, porém muito comuns nas piscinas.

Assim como as duas outras sugestões, o ponto positivo desse tratamento é a isenção de produtos químicos e o baixo consumo de energia para funcionar. No entanto, é necessário regular precisamente o aparelho. Caso contrário, se o nível de liberação for baixo, a piscina não ficará limpa; e se for alto em demasia, a estrutura da piscina ficará manchada.

Escolheu qual é a melhor opção para sua piscina? Perceba que tratamento com cloro para piscinas não é a sua única opção. Você pode substituir o cloro ou utilizá-lo em menor quantidade. Basta escolher uma das alternativas que apresentamos neste post!

É claro que precisa manter a sua piscina limpa independentemente de ela ser aquecida ou não, e certamente o bem-estar e saúde dos seus familiares e convidados são sua prioridade no momento de escolher o tratamento da água, minimizando os possíveis danos à saúde.

Para mais informações e outras dicas super úteis, assine nossa newsletter!

Gostou do texto?
Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *