Cachorro na piscina: pode ou não pode?

Não há como negar: os pets já fazem parte das nossas famílias. Para muitas pessoas, os animais de estimação representam verdadeiros amigos e companheiros. E, como nós adoramos que os amigos participem de todos os nossos bons momentos, é comum termos vontade de incluir os cães nas brincadeiras na piscina.

Mas, será que o cachorro na piscina pode representar algum risco para a qualidade da água e, consequentemente, para a saúde dos banhistas? Além disso, será que o mergulho pode prejudicar a saúde do animal? Pensando nisso, preparamos um artigo especial para tirar suas dúvidas, Continue a leitura e garanta a proteção daqueles que você ama!

Afinal, o cachorro pode usar a piscina?

De modo geral, não existem motivos para proibir que os cães frequentem a piscina da residência, desde que sua saúde esteja em dia. Assim como os humanos, os cachorros devem passar por um exame médico antes de compartilhar a piscina.

Os animais devem estar limpos, vermifugados e com as vacinas em dia. Cachorros que apresentem pulgas, sarna, feridas ou secreções, claramente, não devem entrar nas piscinas.

Por outro lado, a prática da natação pode proporcionar diversos benefícios para a saúde dos bichinhos, assim como proporciona para as pessoas. Além de ser um ótimo exercício para prevenir a obesidade, nadar ajuda a fortalecer a musculatura e o sistema respiratório do animal.

Quais são os cuidados necessários para garantir a segurança das pessoas?

Para garantir que a água não prejudique a saúde das pessoas, deve-se realizar a manutenção regular da piscina. O pH da água e o nível do cloro devem ser medidos constantemente e mantidos em equilíbrio.

Além disso, é importante realizar a limpeza da piscina, para retirar pequenas sujeiras, pelos e cabelos do chão. Essas práticas são fundamental, mesmo que os cães não frequentem a piscina.

Quais são os cuidados necessários para garantir a segurança dos animais?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, nem todos os cachorros sabem nadar. Apesar de existir o instinto natural, os animais podem sentir medo, e acidentes graves podem acontecer. Por isso, é importante cobrir ou cercar as piscinas, para evitar que os cães acessem a área sem a supervisão de um adulto.

Se a piscina for uma novidade para o animal, ensine-o a entrar e sair da água com segurança. Nunca jogue o cão na água ou o assuste, isso pode causar afogamento e traumas. Entrar na piscina e brincar com água deve ser um desejo do animal e não das pessoas.

Depois da diversão, o animal deve tomar um banho com shampoo para cães e água doce, para retirar o cloro do pelo. O cão deve ser bem seco, com um cuidado especial para as suas orelhas, pois a água da piscina pode causar otites.

Agora que você já sabe como proporcionar mais segurança para as pessoas e para o cachorro na piscina, aproveite para curtir ótimos momentos com a sua família completa dentro da água. Compartilhe essas informações com os seus amigos nas redes sociais e espalhe essas dicas de proteção.

Gostou do texto?
Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

3 comentários em “Cachorro na piscina: pode ou não pode?”

  1. murilo disse:

    Muito bom seu artigo valeu

  2. Muito obrigado pelo artigo são ótimas dicas abraço

  3. Adalberto disse:

    Parabéns pelo texto estou abrindo uma Creche para cães em Santo Andre com piscina e estava com estas duvidas. obrigado pelo esclarecimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *