Tratamento de ozônio para piscina: conheça essa solução!

Para conseguir curtir com saúde o verão, é preciso ter os cuidados adequados com a piscina. Para tanto, a água deve estar limpa e não contaminada por microrganismos, sendo que, uma das formas mais eficientes para conseguir isso é realizar o tratamento de ozônio para piscina – o qual é um esterilizante 100 vezes mais poderoso que o cloro e não provoca reações alérgicas.

Continue a leitura deste artigo e descubra mais sobre esse moderno tratamento. Vamos começar!

O que é e como funciona o tratamento de ozônio para piscina?

Basicamente, o gás ozônio (O³) é constituído por três átomos do elemento oxigênio. Por ser altamente reativo, esse composto apresenta característica esterilizante, podendo combater odores e microrganismos danosos a saúde humana.

Sendo assim, o tratamento de ozônio para piscina está se popularizando. Uma vez que ele consegue destruir os microrganismos presentes na água, aproximadamente, 3.120 vezes mais rápido que a tradicional esterilização com cloro.

Para usufruir desse tratamento, é necessário adquirir um gerador de ozônio e instalá-lo na casa de máquinas da piscina, ligando o equipamento na tubulação de retorno da circulação de água. Como essa máquina produz o gás a partir das moléculas de oxigênio presente no ar de seu interior, ela funciona sem a necessidade de utilizar outros produtos.

Assim, ao ligar o sistema de tratamento de água, o gerador de ozônio se liga automaticamente e trabalha em conjunto com os demais equipamentos.

Quais são as principais vantagens?

Compatível com qualquer tipo de piscina

Pelo fato da decomposição do ozônio produzir como produto apenas o oxigênio, o tratamento pode ser usado em qualquer tipo de piscina, podendo ela ser de fibra de vidro, de vinil ou revestida com azulejo. Essa característica também permite realizar essa limpeza em águas oriundas da rede pública ou, até mesmo, de poços artesianos, as quais poderão ou não estar aquecidas.

Soma-se a essa flexibilidade a fácil instalação, que se baseia apenas na inserção do equipamento na tubulação de retorno da circulação de água da piscina.

Alto poder esterilizante

Por se tratar de um gás instável, quando o ozônio entra em contato com a água sua estrutura se desfaz, formando moléculas de oxigênio. Essa reação é altamente esterilizante, matando bactérias, vírus, algas, fungos, protozoários ou qualquer outro microrganismo que possa existir na água.

Outra vantagem é que a decomposição do gás ozônio não gera resíduos, fato que é comum nos tratamentos com cloro. Nesta situação, ele interage com materiais orgânicos e forma a cloramina, que é um composto que pode provocar diversos riscos à saúde, como:

  • Irritações na pele, nos olhos ou nas mucosas;
  • Ressecamento do cabelo;
  • Dores de cabeça;
  • Dores de ouvido;
  • Agravamento de alergias.

Água com aspecto mais limpo e bonito

Uma água tratada com cloro apresenta coloração e odores característicos, além de gerar resíduos. Já no caso do tratamento de ozônio para piscina isso não ocorre, uma vez que a decomposição do gás produz apenas moléculas de oxigênio.

Outro ponto importante é que a água esterilizada com ozônio não provoca manchas nas roupas dos banhistas ou na estrutura da piscina.

Principais diferenças com outros tipos de tratamento

Além do ozônio, existem no mercado outros tipos de tratamentos para piscina, sendo os mais comuns o cloro e a salinização. Cada processo apresenta vantagens e desvantagens quando o assunto é a limpeza de piscinas, sendo que todos eles apresentam boa eficiência na esterilização de microrganismos.

No mercado, o tratamento mais conhecido e usado é o com cloro. Sua vantagem se deve ao baixo custo de aquisição e por todo profissional saber como usá-lo. No entanto, esse produto pode provocar reações nas pessoas e é de baixa duração.

Já a salinização, tem como princípio produzir cloro natural a partir da eletrólise de cloreto de sódio. Para isso é preciso a instalação de um equipamento eletrolítico. Suas vantagens se devem ao menor risco de provocar alergias e reações nas pessoas do que o tratamento convencional com cloro. Contudo, ela é menos eficiente na esterilização e o uso do sal pode provocar problemas de corrosão nos equipamentos.

A partir de todas essas vantagens, é possível perceber a viabilidade do tratamento de ozônio para piscina. Caso você tenha se interessado, entre em contato conosco. Até a próxima!

Gostou do texto?
Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *