110457-4-praticas-para-tratar-a-sua-piscina-se-a-agua-estiver-verde

4 práticas para tratar a sua piscina se a água estiver verde!

Chegou o fim de semana, você vai para a área de lazer pensando em se divertir com as crianças e amigos e percebe que a água da piscina está verde. Já aconteceu com você? Embora seja um problema comum, a solução não apresenta grandes dificuldades.

Então, que tal saber quais as práticas para evitar o tom esverdeado na piscina? Acompanhe este artigo e descubra os segredos para uma água cristalina!

Água da piscina está verde: qual a causa?

Quando a água está com esse aspecto o problema não é só visual, mas também uma questão de saúde. E isso se deve ao crescimento de algas e de outros micro-organismos nocivos.

As algas são, basicamente, seres bem pequenos — microscópicos — que se desenvolvem quando a piscina está sem cloro e com desequilíbrio nos parâmetros químicos. A tonalidade verde se dá por conta de um elemento que elas possuem no seu interior, que tem o mesmo tom.

Está se perguntando em quais condições esses seres crescem e se desenvolvem na água da piscina? Quando o pH estiver distante de 7,2, a presença de algas é praticamente certa, bem como em piscinas com alcalinidade longe de 100 PPM.

Vale lembrar que, nessas condições, a infestação é rápida, isto é, a água ganha o tom esverdeado em poucas horas.

Como solucionar?

O primeiro passo para resolver o problema é entender a causa. Depois que você souber o que deixa a água esverdeada, basta saber como prevenir e tratar. Confira quatro dicas!

1. Não deixe o cloro de lado

Como vimos, as algas se desenvolvem quando a piscina está sem cloro ou com o nível baixo. Ele é, portanto, peça fundamental para uma água cristalina!

Mantenha o nível de cloro em torno de 2 PPM. Isso vai ajudar na eliminação de bactérias e outros micro-organismos que afetam a saúde.

Quando já existem algas na piscina é preciso, antes do cloro, utilizar um algicida, produto químico que elimina as algas.

2. Mantenha o pH ajustado

Se o pH não estiver ideal, o cloro não será eficaz. Percebeu como tudo está relacionado? Isso prova a importância da manutenção constante da piscina, já que a qualidade da água nunca depende exclusivamente de um fator.

Voltando ao pH: o ideal é 7,2. Além de garantir a qualidade da água, contribui também para a durabilidade da piscina e dos equipamentos.

3. Cuide a alcalinidade

A alcalinidade pode ser entendida como a capacidade da piscina de neutralizar ácidos, mantendo o pH estável. Isto é, quando ela está desregulada, o pH sofre variações. Ficou curioso para saber a medida ideal? Então anote: 100 PPM.

4. Manutenção constante

Obviamente, manter os níveis ideais de cloro, pH e alcalinidade é fundamental, mas nada é mais eficiente que a manutenção adequada. Com ela, a sua piscina ficará livre não só do aspecto esverdeado, mas de muitos outros problemas, como a proliferação de fungos.

A manutenção consiste em alguns passos básicos. São eles: remoção das algas, limpeza das bordas, aspiração da piscina, peneiração e tratamento químico.

A piscina é o centro das atenções de todos quando o assunto é se refrescar e se divertir em família ou entre amigos. E com as dicas vistas aqui, não será preciso deixar a diversão de lado porque a água da piscina está verde.

Gostou das dicas abordadas aqui? Agora que você já sabe da importância da manutenção, aproveite a saiba um pouco mais sobre a manutenção em piscinas de fibra!

banner_finalpost
Gostou do texto?
Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *